Páginas

Comprar (e vender) em brechó é tendência na internet



Há alguns anos aconteceu o boom dos blogs de moda e beleza. Uns cresceram e se solidificaram, outros desapareceram com a fluidez característica dos fenômenos da internet, e alguns demais ainda persistem buscando o seu lugar ao sol.

Em um processo semelhante, os bazares e brechós online através do Facebook têm se proliferado rapidamente. Além dos grupos específicos para este tipo de negociação, a cada dia surgem novos perfis de pessoas comuns, abrindo os seus álbuns com o objetivo de desapegar.

Trata-se de um fenômeno bastante interessante, do qual podemos nos beneficiar em via de mão dupla: tanto comprando, quanto vendendo. E por que não?

Com as facilidades do próprio Facebook e também de sites como o Tanlup e o Mercado Livre, está cada vez menos burocrático abrir essa espécie de comércio informal de peças usadas e seminovas.

Mas é preciso ter bom senso tanto na hora de comprar, quanto no momento de precificar as suas peças à venda. Deve-se levar em consideração o valor original da peça, a marca, o tempo de uso e o estado de conservação. Para quem vende, colocar preço com base no apego emocional é pouco vantajoso e só vai deixar a peça encalhada por mais tempo.

No universo dos brechós, o preço é fator decisivo. Compra-se "de segunda mão" porque os preços são mais em conta. Por isso, é preciso lembrar que a maioria das negociações são feitas à vista - e é bem diferente pagar R$ 100,00 por uma roupa nova numa loja, com a possibilidade de parcelar, do que desembolsar as dilminhas à vista por uma usada.

Sabemos também que, em meio a tantos perfis e grupos - que algumas vezes chegam a promover suas versões "ao vivo" - é difícil separar o joio do trigo e comprar apenas o que realmente gostamos e queremos, evitando comprar as pechinchas só porque são pechinchas.

Mas o mais bacana e importante é que esse tipo de negócio, que definitivamente está na moda, estimula a economia informal e promove uma atitude desprendida e sustentável. Para quem vende, assim como para quem compra, é lucro na certa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por participar do Diva Genérica. Não esqueça de deixar o link do seu blog para que possamos retribuir a sua visita!